Monografia/Dissertação/Tese

Tese:

  • Autor: Lucir Reinaldo Alves
  • Orientadora: Eduarda Marques da Costa
  • Título: Reestruturação produtiva e desenvolvimento local: o caso do município de Toledo, Estado do Paraná, Brasil
  • Resumo: Esta tese objetivou analisar em que medida as transformações ocorridas na estrutura produtiva de Toledo-PR, Brasil, contribuíram para o processo de desenvolvimento local do município e, ainda, identificar o papel que os fatores e agentes endógenos e exógenos possuem neste contexto de reestruturação. Para isso, a presente tese estrutura-se em duas partes e compõe-se de oito capítulos. Na primeira parte, além da introdução e apresentação das hipóteses e aspetos metodológicos, apresentam-se as principais teorias do desenvolvimento local e regional e os fatores explicativos inerentes, aos diferentes modelos de produção e às políticas de incentivo ao desenvolvimento local e regional. Na segunda parte, elabora-se um estudo empírico e analítico integrando a leitura sobre as teorias e os conceitos para o município de Toledo, no sentido de compreender a relação entre a reestruturação produtiva e o processo de desenvolvimento local ocorrido. Uma metodologia mista permitiu uma análise de pormenor do tecido produtivo do município de Toledo, com base em dados secundários coletados de fontes oficiais e de dados primários, resultantes de inquéritos aplicados a 115 empresas locais e de entrevistas com 12 representantes/líderes de instituições locais e autoridades locais. Os resultados comprovaram que a reestruturação produtiva resultou do incremento dos setores industriais de alta tecnologia e conhecimento (como por exemplo, a indústria farmacêutica), bem como do crescimento generalizado do setor terciário. Estas mudanças foram suportadas por fatores endógenos (mão de obra qualificada, investimentos empresariais, fatores naturais, incentivos e benefícios fiscais, universidades, entre outros) e exógenos (políticas setoriais federais, investimentos nacionais e estaduais, empresas exógenas, dentre outros). O principal desafio do município é priorizar o desenvolvimento botton-up, criar infraestruturas de C&T e inovação e potencializar um desenvolvimento territorial integrado e interescalar.
  • Abstract: This thesis aims to analyze to what extent the changes occurred in the productive structure of Toledo city, Parana's State, Brazil, contributed to the county local development process and also to identify the role that endogenous and exogenous factors and agents have in this restructuring context. For this, the present thesis is structured in two parts and consists of eight chapters. In the first part, we have the introduction and presentation of hypotheses and methodological aspects the main theories of local and regional development and the related explanatory factors, the different models of production and the local and regional development incentive policies. In the second part, is drawn up an empirical and analytical study integrating the analysis about the theories and concepts to the city of Toledo, in order to understand the occurred relationship between productive restructuring and the local development process. A mixed methodology have allowed a detailed analysis of the productive sector of the city of Toledo, based on secondary data collected from official sources and primary data resulting from surveys applied to 115 local enterprises and interviewing 12 representatives from local institutions and local authorities. The results confirmed that the productive restructuring, result of the increase in knowledge and high technology industries (ex. pharmaceutical industry ) as well as the widespread growth of the tertiary sector, record itself apprised with traditional specialization (the slaughter industry and processing of meat). These changes were supported by endogenous factors (skilled labor, business investment, natural factors, incentives and benefits, universities, among others) and exogenous (federal sectoral policies, national and state investments, exogenous companies, among others). The main challenge of the county is to give priority the bottom-up development, creating infrastructure of S&T and innovation, and to potentiate an inter-scale and integrated territorial development.
  • Citação: ALVES, Lucir Reinaldo.Reestruturação produtiva e desenvolvimento local: o caso do município de Toledo, Estado do Paraná, Brasil. 2016. 497 p. Tese (Doutorado em Geografia, especialidade em Planejamento Regional e Urbano) – Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa, 2016.
  • Download: <hdl.handle.net/10451/23630>

 

Dissertação:

  • Autor: Lucir Reinaldo Alves
  • Orientador: Carlos Águedo Nagel Paiva
  • Título: Distribuição das atividades econômicas e desenvolvimento regional em mesorregiões selecionadas do sul do Brasil 1970-2000
  • Resumo:  Essa pesquisa objetivou identificar os determinantes dos diferenciais de desempenho socioeconômico das mesorregiões Noroeste Rio-grandense, Oeste Catarinense, Sudoeste Paranaense e Oeste Paranaense no período de 1970 e 2000, analisando a distribuição das atividades econômicas e as especializações mesorregionais. Esse conjunto de mesorregiões é considerado, por alguns autores, como sendo similares em suas estruturas fundiárias, estruturas competitivas e padrões de organização do trabalho em 1970. Mas a despeito dessas similaridades o Oeste Paranaense e o Oeste Catarinense apresentaram desempenhos socioeconômicos (considerados pela taxa de crescimento dos PIBs total e setorial e da população total) muito superiores aos apresentados pelo Noroeste Rio-grandense e Sudoeste Paranaense, no período analisado. Utilizou-se como metodologia uma pesquisa analítica a partir, fundamentalmente, de dados secundários coletados do IBGE. O primeiro passo foi confirmar se existiam similaridades em 1970 e verificou-se que havia especificidades nas estruturas produtivas e fundiárias de cada mesorregião e, o conjunto de informações apresentado, sobre o ano de 1970, confirmou uma maior diferenciação em detrimento de uma semelhança excessiva entre as mesorregiões. As principais similaridades estavam presentes na distribuição das propriedades rurais, que eram na maioria de pequenos estabelecimentos; a forma de ocupação dessas mesorregiões; e na produção agropecuária, no significativo percentual representado pela produção das lavouras temporárias (soja no Noroeste Gaúcho e milho nas demais) e dos animais de médio porte (suinocultura). Porém, o que parece explicar melhor o desempenho diferenciado dessas mesorregiões foram as opções produtivas (especializações) no período. O Noroeste Gaúcho foi a única das mesorregiões a apresentar desempenho percentual inferior nos setores primário, secundário e terciário quando comparado com o desempenho do Sul do Brasil. Ao contrário, a dinâmica setorial, principalmente da agropecuária e da industrial, das outras três mesorregiões, parece estar na base do melhor desempenho. O Noroeste Rio-Grandense e o Oeste Paranaense ampliaram significativamente sua especialização na cultura da soja, mas enquanto a mesorregião gaúcha ampliou demasiadamente suas especializações agropecuárias nas culturas temporárias de grãos, e com menor competitividade comparativa, a mesorregião paranaense ampliou, junto com a competitividade das culturas temporárias, a sua pecuária de suínos e aves, ou seja, diversificou mais sua agropecuária. Ao lado disso, a agroindustrialização no Oeste Paranaense parece ser muito maior que na mesorregião gaúcha. No Oeste Catarinense e no Sudoeste Paranaense essa agroindustrialização também foi o carro-chefe dos seus dinamismos. Quanto ao comportamento setorial dessas mesorregiões os municípios que mais se destacaram foram aqueles que já possuíam maior expressão populacional e econômica em 1970, ou seja, os pólos mesorregionais se consolidaram nesse período. Por outro lado, as opções produtivas do setor agropecuário, e as economias externas induzidas por elas, juntamente com os efeitos de encadeamento dos três macro-setores foram as principais explicações do desempenho socioeconômico diferenciado das mesorregiões analisadas. Assim, de forma geral, no período de 1970 a 2000, houve uma melhor diversificação e integração dos macro-setores do Oeste Catarinense e Oeste Paranaense, o que se refletiu em melhores condições econômicas, de vida (IDH) e de renda, em comparação com o Noroeste Rio-Grandense e Sudoeste Paranaense.
  • Citação: ALVES, Lucir Reinaldo. Distribuição das atividades econômicas e desenvolvimento regional em mesorregiões selecionadas do Sul do Brasil : 1970-2000. 2008. 182 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Santa Cruz do Sul, 2008.
  • Download: <hdl.handle.net/11624/681>

 

Monografia:

  • Autor: Lucir Reinaldo Alves
  • Orientador: Jandir Ferrera de Lima
  • Título: Urbanização e polarização das microrregiões paranaenses - 1970/2000
  • Resumo: O objetivo dessa pesquisa foi analisar a urbanização e polarização das microrregiões paranaenses no período de 1970 a 2000. Para isso, utilizou-se a análise regional para analisar o comportamento das microrregiões. As transformações ocorridas na economia das microrregiões paranaenses devido a mecanização da agricultura, da agroindustrialização e da expansão do setor terciário fez com que poucas microrregiões se beneficiassem desse processo. Isso ocorreu devido ao comportamento heterogêneo da polarização e da urbanização dessas regiões. Assim, os resultados da análise regional apontaram três grandes mudanças espaciais-estruturais no Paraná: 1) A polarização e a urbanização das microrregiões paranaenses concentraram-se em um número reduzido de microrregiões. 2) As microrregiões que atraíram as atividades econômicas e população foram as que mais se beneficiaram com as mudanças estruturais da economia paranaense no período de 1970 a 2000. 3) Houve associação entre os ramos de atividade de 1970 a 2000. No entanto, essa associação se deu principalmente nos setores secundário e terciário. O setor primário não apresentou associação significativa no período analisado, denotando que os setores secundário e terciário estão ganhando cada vez mais destaque nas microrregiões paranaenses, deixando as microrregiões baseadas no setor primário mais periféricas com o passar do tempo. Dessa forma, fica o desafio às esferas governamentais em planejar o desenvolvimento econômico do Estado de modo a difundir o desenvolvimento para todas as microrregiões, beneficiando todas elas e garantindo a autonomia econômica das mesmas.
  • Citação: ALVES, Lucir Reinaldo. Urbanização e polarização das microrregiões paranaenses : 1970/2000. 2005. 83 p. Monografia (Bacharelado em Ciências Econômicas) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Campus de Toledo. Centro de Ciências Sociais Aplicadas, 2005.
  • Download: <Urbanização e polarização das microrregiões paranaenses - 1970-2000.pdf (2,4 MB)>